Iniciamos aqui nossa série Talks2Grow, onde conversaremos com clientes e empresários, buscando entender diversos mercados e aprender um pouco com cada um deles.

Para nosso primeiro encontro, conversamos com Lindomar Luiz Junior, empreendedor, 29 anos.

Lindomar iniciou sua carreira dentro da empresa da família, a NT Denim, mas logo mostrou seu lado empreendedor criando uma marca de camisetas que mais tarde se tornou uma produtora de eventos, onde agenciava artistas locais, dentre eles a sua própria banda.

Obstinado, sempre em busca do aperfeiçoamento e melhor rendimento, hoje lidera uma empresa que é 99% formada por mulheres, o Grupo Karol, que administra franquias da Cacau Show, O Boticário e Love Brands, nas cidades de Laguna, Braço do Norte e Jaguaruna, em Santa Catarina.

Conversamos com o Junior e conseguimos entender um pouco melhor como está seu mercado nesse momento, confira:

Como vocês vêem o cenário atual do mercado de franquias e o que esperam para os próximos anos?

O mercado de franquias é uma das estratégias mais eficientes para a expansão de negócios, com a tecnologia cada vez mais presente no dia a dia das pessoas e dos negócios, a premissa necessária da franquia que é a capacidade de se reproduzir de forma uniforme e padronizada em lugares diferentes por gestores diferentes, se torna mais fácil de ser organizada e gerenciada, devido a esses fatores o número de franquias no mercado vem crescendo ano após ano e a expectativa é que cada vez mais o franchising esteja presente nos planejamentos das grandes marcas, das startups que estão iniciando no mercado, é um caminho sem volta para o desenvolvimento de branding e de captação e penetração de mercado para as empresas.

De que maneira a crise econômica está afetando o mercado e como isso impacta no Grupo Karol?

Hoje podemos notar que o consumidor esta mais cauteloso em relação aos seus gastos, ele pesquisa mais, tenta conseguir descontos ou melhores condições de pagamento, o varejo nacional sentiu esse impacto, a sensação é que tem “menos dinheiro” em circulação, com todo esse cenário tivemos que nos reinventar e criar novas ações, nos obrigou buscar o nosso melhor, rever nossos custos operacionais, botar a casa em ordem, enxugar despesas aonde se tinha oportunidade para nos adaptar para esse novo momento, tendo como grande foco á atuação em multi canais de venda, ações que façam nossos produtos chegarem á pessoas que não tinha acesso, como começar a venda direta com a Cacau Show, e fazer atendimento nas empresas nas datas comemorativas para vender para os colaboradores com desconto em folha, entre outras ações, e sempre utilizando planejamento para fazer dessa ações além de comerciais mas também financeiramente viáveis, mesmo com toda turbulência estamos conseguindo ter crescimento moderado em todas nossas unidades em relação ao ano passado.

Como o Grupo Karol prepara seus funcionários para que todos estejam engajados com as estratégias da empresa?

Temos reuniões semanais com todas os times das nossas 8 unidades, normalmente documentas com atas para gerar maior comprometimento do que foi acertado para ser feito, além de ter o organograma da empresa organizado, fazendo com que todo colaborador saiba qual sua posição, suas obrigações, deveres e direitos, prezando por um ambiente saudável e amigável para todos os envolvidos nas nossas equipes. Partimos do principio que não conseguiremos crescer 10% se as pessoas não crescerem 10%, por isso estamos sempre buscando desenvolver as pessoas com cursos, treinamentos, rotinas em outras unidades do grupo para que esse desenvolvimento seja algo constante.

Algumas das franquias operadas pelo grupo passam por um período de sazonalidade?

A Cacau Show passa por isso sim, ela apresenta a maior sazonalidade das empresas do grupo, por conta da Páscoa e do Natal. Temos esses dois picos de fluxo de clientes, dos quais exigem preparação das lojas, abastecimento planejado, contratação de temporários para ajudar na demanda, entre outros fatores. Na parte de gestão também implica em organizar o fluxo de caixa preparado para as baixas do ano para assim manter o equilíbrio do processo e a saúde financeira do negócio.

Como foi o processo de inclusão da venda direta na Cacau Show? Qual foi o maior desafio?

Foi uma grande aposta que surgiu a partir da diminuição do fluxo de clientes no varejo convencional, com isso surgiu os catálogos com produtos da loja e a relação comercial com revendedoras autônomas para fazer essa logística de venda em lugares aonde não existe condições econômicas ideias para uma operação de loja, atingindo bairros e pessoas que até então apenas conheciam a marca mas não tinham acesso, hoje esse projeto já se tornou obrigatório e todas as franquias do Brasil tem que atuar nesse canal de venda, fazendo com que a proporção do negócio tome uma nova perspectiva, aumentando captação de clientes e apresentação da marca.

O que você já fez antes de se tornar empreendedor e estar a frente das franquias?

Desde jovem a visão empreendedora já dava sinais, com apenas 18 anos comecei uma marca de camisetas que acabou se tornando uma produtora de eventos da qual tinha alguns artistas agenciados, e entre eles eu fazia parte de uma banda, por mais que esse caminho não foi financeiramente atrativo para dar continuidade, foi de grande aprendizado em vários quesitos, entre eles, negociações, lidar com imprevistos, organizar eventos e etc…

Qual é o maior desafio que o grupo enfrenta hoje em dia?

O maior desafio do grupo hoje em dia esta em manter seu crescimento de vendas considerando um mercado com cenário econômico duvidoso e se organizar e estruturar para o novo patamar de negócio em que chegamos, foram 4 inaugurações em 3 cidades em menos de 2 anos, por conta disso temos uma jornada interna de organizar todas essas demandas de forma produtiva e organizada.

Quais as dicas que você dá para quem quer começar um negócio agora? O que você não faria de novo ou o que você teria feito no início que não fez?

Para quem esta começando, existe um mar de oportunidades em todos os lugares, por mais que o senso das pessoas seja negativo e dizendo que tal cidade “isso não dá”, temos que acreditar na sua visão, fazer pesquisa de mercado, procurar cidades com perfil parecido que ja tenham tal negócio e etc…, Aconselho também a todos que querem ingressar na vida de empreendedor para fazer o curso do SEBRAE chamado EMPRETEC, a experiência que esse curso trás é fantástica.

Você utiliza alguma ferramenta para otimizar seus processos? Se sim, quais?

Sou planilheiro, para todos os processos em todas as nossas empresas existem planilhas gerenciais para acompanhar indicadores e processos, além de que cada uma das franquias que representamos tem na sua operações softwares de gestão com muitas ferramentas que agilizam muito os relatórios a análises.

Curtiu? Dê sua sugestão de pessoas com quem devemos conversar nos próximos Talks2Grow, a sua opinião é muito importante. Comente aqui em baixo ou se preferir, fique à vontade para entrar em contato.